Hoje encerramos o mês rosa

E hoje encerramos o mês rosa! O mês de difundir informações sobre a importância de se cuidar, seja através da prevenção, com hábitos de vida saudáveis, seja através de diagnóstico precoce, com a realização de mamografia anual a partir dos 40 anos de idade. Outubro chegou ao fim, mas o cuidado com nossa saúde deve ser diário. Gratidão a Deus por ter me dado a oportunidade de conversar com tantas pessoas

Amamentação: 3 Dificuldades iniciais e como superá-las

“A pega”: A primeira dificuldade de toda mãe é como conseguir a pega correta para amamentar. A “má pega” acontece quando o bebê coloca somente o mamilo na boca. A solução é colocar toda a aréola na boca do bebê para que ele possa sugar de maneira correta. A “má pega” causa dor nos mamilos, fissuras e rachaduras.

Produzir pouco leite: A principal causa para a produção insuficiente de leite é provavelmente a “má pega” que causa a falta de estímulo nas glândulas mamárias para a produção do leite. Quando a pega do bebê é feita de forma correta a produção de leite deve aumentar num prazo de três dias.

Não esvaziar o peito regularmente: Quando o peito não é esvaziado de forma regular, ele empedra, causa inflamação, abscessos e o bebê não consegue mamar. O ideal é esvaziar as mamas com uma bomba tira-leite ou por ordenha manual. Tem muito leite? Doe para um Banco de Leite!

Em caso de dúvidas, procure Giovanna Gabriele – Médica Mastologista (11 3514 6000).

Giovanna Gabriele Médica Mastologista

Como escolher o sutiã?

Sabemos que a pele das mamas é muito sensível, por esta razão é preciso ter bastante atenção na hora de escolher o sutiã. Veja abaixo três dicas básicas:

1. Formato: para as mamas volumosas, evitar sutiã que pressione muito. Aquele sutiã com elástico esticado na região inframamária pode causar inflamações cutâneas. Neste caso, o recomendado são os modelos básicos, sem aro e com maior capacidade de sustentação. Para as mamas pequenas, a sugestão é usar sutiãs com arco, ou demitasse, ou sutiãs gorge, os quais evitam que as mamas se espalhem para os lados.

2. Tecido: optar por sutiã em algodão, pois absorve a transpiração, evitando o atrito do suor com a pele, que pode provocar inflamações. Além do algodão, também é recomendado sutiãs com fibras sintéticas de origem natural, que são capazes de manter a pele respirando. Por outro lado, vale destacar que nem mesmo os sutiãs de seda são bem-vistos, pois a seda não garante a absorção do suor.

3. Cor: considerar que a cor faz diferença. Sutiãs com tons fortes (ex., vermelho, azulão ou preto) não são recomendados para o uso diário, pois não absorvem a transpiração, além de serem tingidos com corantes, os quais aumentam as chances de aparecimento de diversas alergias e de eczemas de contato.

Enfim, o sutiã ideal é aquele que dá sustentação e não pressiona demasiadamente a mama, além de absorver o suor e evitar os atritos.

Médica Giovanna Gabriele

Reconstrução mamária eleva a auto-estima

Como uma flor sem pétalas.

O processo de retirada da mama não é fácil. Ficar sem essa parte do corpo pode afetar bastante a autoestima. Muitas das vezes a mastectomia (cirurgia para retira da mama) vem acompanhada de depressão. Com base nisso, faz parte de nossa prática médica o acompanhamento desde os exames iniciais até a cirurgia de reconstrução da mama. Aqui nos preocupamos com a mente, tão quanto o físico.

Muito mais que uma operação, algumas mulheres relatam que a reconstrução é a sensação de finalmente conseguir fechar um ciclo. Cada caso é um caso e a nossa avaliação médica apontará o melhor caminho. A Reconstrução pode ser imediata, realizada logo após a mastectomia, ou pode ser realizada alguns meses depois. O que mais importa é a paciente estar saudável e em paz consigo mesma.

Giovanna Gabriele – Médica Mastologista (11 3071 1812)

mama maior do que a outra Dra Giovanna Gabriele

É normal ter uma mama maior do que a outra?

Assimetrias são comuns em nosso corpo, um lado do rosto é maior do que o outro, uma orelha maior do que a outra, entre outros exemplos. Isso ocorre também nas mamas, normalmente são diferenças de tamanho pouco significativas. Na adolescência quando estão se desenvolvendo a diferença pode ser mais notada.

Durante a amamentação a diferença entre as mamas também pode ficar mais evidente, por isso é indicado que sejam esvaziadas igualmente. Você não precisa se preocupar com a diferença entre seus seios, porém se a incomoda, o ideal é procurar um médico mastologista que poderá tirar suas dúvidas e ajudá-la com tratamentos e indicações cirúrgicas de acordo com o seu caso.

Giovanna Gabriele – Médica Mastologista (11 3071 1812)