Mamilo Invertido: quando se preocupar?

O mamilo invertido é caracterizado pela retração do mamilo para dentro. Pode ser congênito ou adquirido e ocorrer em ambos os sexos.
Geralmente, não afeta a sensibilidade das mamas, mas pode provocar baixa na autoestima e estranhamento por parte da paciente. Além de dificultar na amamentação.

Quando a inversão é adquirida ao longo da vida e não apresenta outros sintomas, pode ser desencadeada por alterações fisiológicas naturais, como gestação e perda significativa de peso.
Todavia, quando é associada a outros sintomas é necessário buscar acompanhamento de uma mastologista para identificar a causa da alteração.

Existem 03 graus de inversão do mamilo:

Grau 1: mamilos fáceis de manipular e manter a projeção por um tempo considerável, sem atrapalhar a amamentação;

Grau 2:
os mamilos podem ser puxados para fora, mas se retraem logo em seguida, dificultando a pega e a amamentação do bebê;

Grau 3: os mamilos não podem ser retirados, necessitando de cirurgia e, em muitos casos, apresentar problemas como mamilos doloridos e mastite recorrentes.

Quando a inversão é adquirida ao longo da vida e não apresenta outros sintomas, pode ser desencadeada por alterações fisiológicas naturais, como gestação e perda significativa de peso.
Todavia, quando é associada a outros sintomas é necessário buscar acompanhamento de uma mastologista para identificar a causa da alteração.

O prognóstico depende do grau de inversão, necessitando ou não de cirurgia.
Quando é adquirido ao longo da vida e apresenta outros sintomas, como saída de secreção, pele avermelhada ou outra alteração deve ser consultada a mastologista para avaliação e diagnóstico de alguma condição maligna.

Treinar superiores deixa as mamas menores?

Mito! O treino de superiores, em especial o de peitoral, aumenta o tônus muscular que fica localizado abaixo do tecido gorduroso mamário.

As mamas são formadas por glândula e tecido gorduroso, logo, o que pode levar a redução das mesmas é a diminuição da gordura corporal, independente do tipo de atividade física realizada.

Caso você esteja insatisfeita e/ou deseje aumentar o volume mamário pode ser indicada a cirurgia de mamoplastia de aumento com o uso de implantes de silicone ou com o uso da própria gordura corporal, removida de outras partes do corpo e enxertada na mama, que chamamos de lipoenxertia, ou ainda com a associação dessas duas técnicas, a mamoplastia híbrida.

4 causas para o crescimento de mamas em homens

As mamas masculinas podem crescer em diferentes fases da vida, como na puberdade e até mesmo em casos de obesidade.

4 causas para o crescimento de mamas em homens:
Anabolizantes;
Baixo nível de testosterona;
Obesidade;
Ginecomastia.

Entretanto, quando esse crescimento é dado de forma excessiva, pode ser associado a um distúrbio, chamado ginecomastia, provocando aumento da glândula mamária.

Em casos de aumento mamário, é indispensável o acompanhamento por uma mastologista para avaliar a causa desse crescimento.

Reconstrução de aréola, como é feita?

Em alguns casos de cirurgias mamárias, a exemplo da mastectomia, ou em assimetrias areolares pode ser necessário a realização de cirurgias reconstrutoras.

O mamilo pode ser reconstruído utilizando a pele da mama, mamilo ou outras regiões, como a virilha, através de enxertos, retalhos e, até mesmo, tatuagem.
Independente da técnica utilizada, a reconstrução do mamilo proporciona um resultado satisfatório para as pacientes.

Não espere para cuidar da saúde das suas mamas!

Muitas pessoas esperam o carnaval passar para sentir que o ano iniciou e começar as metas do ano, mas outras esperam apenas o mês de outubro para cuidar da saúde das mamas.

Não espere um mês específico para cuidar da sua saúde. Marque uma consulta com a mastologista e faça de você sua maior prioridade.

Você sabia que existem 4 tipos de densidade mamária?

 A densidade mamária representa a quantidade de tecido fibroso e glandular em relação a gordura das mamas. São divididas em 4 tipos:

  • lipossubstituídas ou com predomínio de tecido adiposo: possuem menos de 25% de tecido fibroglandular;
  • densidades fibroglandulares esparsas ou parcialmente gordurosa: compostas por 25% a 50% de tecido fibroglandular;
  • Densa heterogênea: possuem 50% a 75% de tecido fibroglandular;
  • Extremamente densa: mamas com pelo menos  75% de tecido fibroglandular

Apesar dos estudos comprovarem que mulheres com mamas mais densas possuem um risco aumentado de câncer de mama, ter uma densidade mamária não significa que você irá desenvolvê-lo.

Em casos de mamas densas, agende uma consulta com a médica mastologista para prevenção e rastreamento da doença.

Cuidar da saúde das mamas é sinônimo de autocuidado e autoamor.

Hoje é comemorada duas datas especiais na saúde.

Celebramos o dia do mastologista em homenagem a todos os profissionais que, assim como eu, cuidam com muito carinho e atenção da saúde das mamas.

Poder cuidar da saúde das pessoas é uma dádiva, agradeço a Deus pelo dom que me deu!

Também dedicamos a data ao Dia Nacional da Mamografia, exame essencial para o rastreamento e detecção do câncer de mama. Aproveitamos para ressaltar a importância de cuidar das mamas como uma forma de autoamor e autocuidado.

Parabéns a todos os colegas de profissão!

Dia Mundial de Combate ao Câncer

O câncer é o principal problema de saúde pública e está entre as quatro principais causas de morte prematura – antes dos 70 anos de idade – no mundo. Anualmente, mais de 20 milhões de pessoas são diagnosticadas com algum tipo de câncer. No Brasil, de acordo com o INCA, somente em 2023 foram estimados 704 mil novos casos de câncer.

Essa crescente de incidência e mortalidade acontece em parte pelo envelhecimento e crescimento populacional, mas também pela mudança na distribuição e na prevalência dos fatores de risco de câncer, especialmente aos associados ao desenvolvimento socioeconômico.

Os exames de rastreamento, como a mamografia, são capazes de reduzir a mortalidade por câncer em até 40% e a adoção de um estilo de vida mais saudável, por exemplo, reduz aproximadamente 30% dos cânceres.

Por isso, é essencial se cuidar e realizar o acompanhamento da neoplasia.

Manual de como escolher o sutiã ideal

A escolha do sutiã também influencia na saúde das mamas e bem-estar da mulher. Utilizar um sutiã que aperta e comprime as mamas, deixa sobras ou não promove a sustentação necessária pode causar dores e desconfortos, como a mastalgia.

Confira algumas dicas de como escolher o sutiã ideal:

Tecido: o sutiã deve ter um tecido confortável no qual você se sinta bem. Dê preferência a tecidos respiráveis e macios.

Sustentação: Sutiãs com aros e/ou elásticos auxiliam na sustentação e diminuindo a sobrecarga do tórax e das costas. Nos casos de mamas grandes, o ideal são sutiãs com alças mais largas e que sejam cruzados na parte de trás das costas.

Bojo: apesar de muitas mulheres optarem devido a estética, bojos com muito volume e costuras internas podem comprimir as mamas, afetando a drenagem linfática da mama.
Medidas: as mamas devem ficar acomodadas no sutiã e sem sobras na lateral ou medial. Saber as medida das suas mamas e tórax é importante para saber o número ideal do sutiã.