Mamilo Invertido: quando se preocupar?

O mamilo invertido é caracterizado pela retração do mamilo para dentro. Pode ser congênito ou adquirido e ocorrer em ambos os sexos.
Geralmente, não afeta a sensibilidade das mamas, mas pode provocar baixa na autoestima e estranhamento por parte da paciente. Além de dificultar na amamentação.

Quando a inversão é adquirida ao longo da vida e não apresenta outros sintomas, pode ser desencadeada por alterações fisiológicas naturais, como gestação e perda significativa de peso.
Todavia, quando é associada a outros sintomas é necessário buscar acompanhamento de uma mastologista para identificar a causa da alteração.

Existem 03 graus de inversão do mamilo:

Grau 1: mamilos fáceis de manipular e manter a projeção por um tempo considerável, sem atrapalhar a amamentação;

Grau 2:
os mamilos podem ser puxados para fora, mas se retraem logo em seguida, dificultando a pega e a amamentação do bebê;

Grau 3: os mamilos não podem ser retirados, necessitando de cirurgia e, em muitos casos, apresentar problemas como mamilos doloridos e mastite recorrentes.

Quando a inversão é adquirida ao longo da vida e não apresenta outros sintomas, pode ser desencadeada por alterações fisiológicas naturais, como gestação e perda significativa de peso.
Todavia, quando é associada a outros sintomas é necessário buscar acompanhamento de uma mastologista para identificar a causa da alteração.

O prognóstico depende do grau de inversão, necessitando ou não de cirurgia.
Quando é adquirido ao longo da vida e apresenta outros sintomas, como saída de secreção, pele avermelhada ou outra alteração deve ser consultada a mastologista para avaliação e diagnóstico de alguma condição maligna.

As mamas podem crescer após a mamoplastia redutora?

Sim, as mamas podem voltar a crescer após a realização de cirurgias de redução mamárias por fatores hormonais ou de ganho de peso.

O ideal é que seja feito um planejamento para a realização da mamoplastia, levando em consideração desejos como gravidez e/ou perda de peso. Mas, se suas mamas voltarem a crescer após a cirurgia, é possível refazer o procedimento após uma avaliação clínica.

Tenho nódulos mamários, posso colocar silicone?

Na maioria dos casos, a presença de nódulos mamários não influencia no implante de prótese de silicone, mas antes de qualquer procedimento cirúrgico é indispensável a avaliação de uma mastologista.

Apenas após a análise do(s) nódulo(s) é que será dada a liberação para a realização do procedimento e, caso seja necessário, o tumor pode ser retirado durante a cirurgia das mamas.

Busque sempre a orientação e acompanhamento de uma mastologista de confiança.

Cirurgia nas mamas antes ou depois de engravidar?

Essa é uma dúvida rotineira nas pacientes que chegam ao meu consultório interessadas em fazer cirurgias mamárias, como mastopexia ou implantes de silicone, e também sonham em ser mães.

Mas a resposta dessa pergunta depende de uma avaliação médica da individualidade e queixas de cada paciente devido às mudanças que ocorrem nas mamas com a gestação.

Por exemplo, uma mulher jovem que tem mamas grandes e sofre com desconforto devido ao volume das mamas pode prolongar sua condição se optar por fazer somente após a gestação. Então, nesse caso, pode ser mais indicado fazer a cirurgia antes de engravidar. Por isso, a importância de uma análise minuciosa para que a decisão seja tomada com seriedade.

Para mulheres que acabaram de ter filho, destacamos que o momento recomendado para a mamoplastia é seis meses após o fim da amamentação.

Existe risco da prótese de silicone romper e vazar?

Essa foi uma dúvida que uma paciente me trouxe e eu vim compartilhar com vocês: será que existe o risco da prótese de silicone romper e vazar?

A resposta é não! O silicone é formado por um material coeso que geralmente não corre o risco de extravasar ou se espalhar pelo corpo. O próprio organismo forma uma cápsula natural envolta do silicone e, caso ocorra o rompimento, não provoca danos a paciente, sendo descoberto apenas nos exames de imagem.

Minha cirurgia mamária vai me deixar cicatriz?

Sim, toda cirurgia mamária deixará cicatriz, mas podemos utilizar técnicas de cortes menores e escolhas de local que deixem-a mais discreta. Porém, tudo vai depender dos cuidados pós-cirúrgicos e da cicatrização de cada organismo.

Vale salientar que a cicatrização e efeitos colaterais, como queloide, podem variar de pessoa para pessoa. Por isso, é indispensável os cuidados pós-cirúrgicos com as cicatrizes das mamas.

Quais são os cuidados após cirurgia mamária?

A cirurgia mamária é o sonho de muitas mulheres, mas ela também pode causar medo e insegurança devido ao pós-operatório. Neste vídeo trouxe alguns cuidados que precisam ser tomados após cirurgias mamárias.

Silicone encapsulado: quais são os riscos?

Ao colocar implantes de silicone é normal o corpo formar uma cápsula envolta como forma de proteção contra um corpo estranho.

O organismo reage naturalmente aos implantes mamários formando uma cápsula fibrótica envolta do silicone, ou seja, é normal em todos os casos.

Os riscos existem nos casos de contratura capsular, quando essa cápsula fibrótica se contrai e comprime o implante mamário causando assimetria mamária e em último grau provocando dor a paciente.

A contratura capsular é uma condição rara e pode ser provocada por fatores como a técnica utilizada no momento da cirurgia, tipo de silicone, entre outros.

Por isso, quando confirmada, ela pode ser facilmente revertida após a análise do procedimento cirúrgico e correção da causa.

Nesses casos, o cirurgião irá avaliar o grau de contratura através de exames de imagem e definir qual a melhor forma de contornar essa condição e restaurar a estética da mama.